terça-feira, 18 de setembro de 2018

“Foi uma ação politiqueira contra a população” – afirma Edson Vieira após suspensão de inscrições de casas populares

Resultado de imagem para edson vieira
Foto: Divulgação
Na manhã desta terça-feira (18) o prefeito de Santa Cruz do Capibaribe, Edson Vieira (PSDB), participou do programa Cidade Notícia, da Polo FM.
O assunto foi a suspensão, por parte da Justiça Eleitoral, das inscrições para 500 casas do programa “Minha Casa, Minha Vida”, que estão sendo edificadas no Residencial Cruzeiro.
A decisão, em caráter de liminar, partiu de uma denúncia feita pelo vereador Ernesto Maia (PT), que acusa o uso eleitoral de forma indevida das casas, em benefício da candidata Alessandra Vieira (PSDB), esposa do prefeito.
Uma multa de R$ 50 mil chegou a ser fixada em caso de descumprimento da decisão, que cabe recurso.
De acordo com o prefeito, a denúncia feita por Ernesto seria “uma falta de respeito, cidadania e coerência para com a população”, citando que o vereador também entrou com uma ação contra o Concurso Público, ao qual meses depois foi realizado.

“As inscrições foram feitas com transparência, com responsabilidade, do jeito que manda o figurino. A população foi avisada, deixaram o povo fazer as inscrições na segunda para entrar com um processo e conseguindo uma liminar suspendendo essas inscrições de 500 famílias que ficaram abismadas, preocupadas, com uma insegurança tremenda” – disse.

De acordo com ele, a equipe de advogados da prefeitura está recorrendo da decisão, negando o uso eleitoral dos imóveis.

“Tivemos autorização da Caixa para se fazer as inscrições e para se começar o projeto social. Vi uma postagem do vereador dizendo que estaria suspensa e que daqui há 20 dias se faziam as inscrições. Tinham vereadores de Oposição lá e eles viram que não houve nenhuma ação politiqueira” – pontuou.

Questionado sobre a parte em que a denúncia cita que foi usado material de campanha a dois candidatos por ele apoiados ao qual se faz alusão as 500 casas populares, ele foi enfático:

“O que é que impede o prefeito pedir votos para seus candidatos quando se conquistou obras para cidade?! O Governador Paulo Câmara pede votos a ele mesmo dizendo que fez barragens, que fez uma escola, o projeto Ganhe o Mundo… A prefeita Raquel Lyra pede votos para seus candidatos divulgando o que fez. Não entendo… Até hoje, nunca usei nenhuma ação politiqueira e não entrei com nenhuma ação contra. O vereador usou de um argumento para desviar o foco da eleição. Foi uma ação politiqueira contra a população” – completou.

Informações Blog do Ney Lima 

Nenhum comentário:

Postar um comentário