segunda-feira, 11 de junho de 2018

Armando lança pré-candidatura com frente política mais encorpada

Nas eleições de 2014 o senador Armando Monteiro liderou as pesquisas até o início do guia eleitoral, chegou a ter uma vantagem de quase 40 pontos em relação a Paulo Câmara, porém mesmo líder nas pesquisas, não ofertava perspectiva de poder. A prova foi tanta que pra fechar uma coligação precisou que Silvio Costa deixasse o PTB para presidir o PSC e que o PDT fizesse uma intervenção no estado pra garantir que Paulo Rubem fosse seu vice.
Naquela ocasião Armando contou apenas com PTB, PT, PDT, PRB, PSC e PTdoB, e exceto o PT, as demais siglas eram medianas para pequenas, diferentemente de seu adversário que contou com 21 partidos, sendo apoiado pela maior frente política da história. No guia eleitoral Armando tinha 4:53 segundos contra 10:49 de Paulo Câmara, mais do que o dobro do tempo para o governador.
Com a legislação modificada, apenas os seis maiores partidos da coligação contarão para o guia eleitoral, o que imediatamente daria uma condição de maior igualdade na disputa para Armando Monteiro, porém a situação melhora, uma vez que ele atraiu para sua coligação DEM e PSDB que estavam integrando a Frente Popular, e perde apenas PDT e PT.
Se naquela ocasião havia um forte desejo de continuidade que acabou fragilizando a postulação de Armando, sobretudo após a morte de Eduardo Campos, na eleição deste ano haverá uma avaliação dos quatro anos de governo de Paulo Câmara, que não é mais a novidade no processo. O eleitor tende a fazer uma avaliação mais crítica para poder garantir a renovação do mandato do governador, o que dá a Armando uma maior competitividade eleitoral.
Hoje o senador lança sua pré-candidatura com PTB, PSDB, PRB, PPS, PV, Democratas e Podemos, e a expectativa agora recai sobre o destino de quatro partidos, o PSC, o PP, o PR e o Solidariedade, que se ficarem com Paulo Câmara freiam o projeto de Armando e garantem uma maior competitividade ao governador na busca pela reeleição, mas se migrarem para o projeto oposicionista, tendem a dar ao petebista uma chance real de derrotar o PSB nas eleições deste ano.
Informações Blog do Edmar Lyra

Nenhum comentário:

Postar um comentário