segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

"Em partes o prefeito me humilhou, pois disse, tenho que botar um vice que tenha dinheiro", declara vereador Paulo Floriano em entrevista na Rádio Jataúba FM

Nesta segunda-feira 11, começou na rádio Jataúba FM uma rodada de entrevistas com os vereadores do município onde os mesmos terão a oportunidade de falar sobre esse primeiro ano da nova legislatura. O primeiro entrevistado foi o presidente da câmara vereador Paulo Floriano (PMDB), que não fugiu de nenhuma pergunta e fez declarações bombásticas sobre os bastidores da política Jataubense.

Paulo disse que 2018 será um ano de desafios e disse que um dos grandes problemas que o município enfrenta hoje é a falta de saneamento do Bairro Seu Teté pelo fato de que o município não dispõe hoje de recursos para a construção de uma estação de tratamento e os dejetos não podem ser jogados no Rio. Sobre a moralidade da câmara Paulo disse que a casa Inácio Viterbo de Araújo não é um circo para ninguém ficar gritando e assoviando enquanto os vereadores estão na tribuna e por isso não irá permitir que esses fatos voltem a acontecer.

Questionado sobre a formação da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito), disse que os trabalhos estão andando e que na sua formação a assessoria jurídica da câmara o orientou que o vereador Jackson poderia participar normalmente e por segui o rito que o colocou na comissão, Paulo negou que tenha tido qualquer conversa com o prefeito do município no intuito de planejar a formação da mesma.

O vereador se mostrou confiante e disse que do final de janeiro pra o início de fevereiro espera está realizando o concurso público da câmara e disse se sentir muito orgulhoso por ser o primeiro presidente a realizar um concurso na casa, ele disse que serão disponibilizadas oito vagas e espera que no final do mês de março de 2018 possa está convocando os que forem aprovados no concurso para assumir os seus cargos. 

No ponto mais polêmico Paulo disse que tinha um acordo para ser candidato a vice-prefeito em 2016 e que o prefeito Antônio de Roque descumpriu: “Eu tinha um acordo para ser o vice de Antônio de Roque e ele descumpriu, o que me chateou é que ele me segurou e deixou pra dizer um dia antes da convenção”, declarou em tom de desabafo e disse: “Fui trocado por Zezé Jorge, por Léo, por Luzimário e agora por Buraco, por isso não vou negar, tenho uma mágoa muito grande do prefeito por causa disso”, finalizou.

“Em partes o prefeito me humilhou, pois, disse que tinha que botar um vice que tivesse dinheiro, se naquele momento eu tivesse em outro partido ou alguém da minha família filiado a outro partido eu teria ido pra oposição e Mamão hoje seria o prefeito de Jataúba”, declarou ao dizer que foi procurado pelo então candidato a prefeito Fábio Mamão. “Mamão me procurou e eu disse a ele que naquele momento não podia fazer nada pelo fato de não ter um partido, mas, vamos trabalhar, hoje tenho um bom relacionamento com o prefeito, mas, o futuro a Deus pertence”, disse Paulo, que revelou não confiar mais em acordos feito com o prefeito.

Por fim o vereador disse que já fez um pedido ao prefeito para a regularização da guarda, porém, o mesmo disse que iria ver o que pode fazer. Sobre as eleições de 2018 Paulo disse que já tem alguns nomes definidos os quais o mesmo irá como Lula para presidente, Paulo Câmara para governador, e Zé Humberto para deputado estadual, o vereador disse não apoiar Bruno Araújo pelo fato do mesmo ter tido um posicionamento contra os trabalhadores ao votar favorável as reformas trabalhista e da previdência.

Paulo disse que continua ampliando suas bases no município e citou como exemplo a comunidade do Riacho do Jacú onde tem visitado constantemente. 


Jota Silva / Agreste No Ar / Fotos: Jataúba FM

Nenhum comentário:

Postar um comentário