segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

De olho em 2018 - Oposição marca ato político para consolidar projeto eleitoral

Após as aparições em Caruaru e Canhotinho, a oposição ao governador Paulo Câmara (PSB) fará o seu primeiro grande ato político no dia 11 de dezembro, no espaço Arcádia do Paço Alfândega, para reunião de lideranças e discussão dos problemas de Pernambuco.

O evento servirá de ressonância política para figuras como os ministros de Minas e Energia, Fernando Filho (sem partido) e da Educação, Mendonça Filho (DEM), os senadores Armando Monteiro (PTB) e Fernando Bezerra Coelho (PMDB) e o ex-ministro das Cidades, o deputado Bruno Araújo (PSDB). A ideia principal é concentrar prefeitos, vereadores e demais lideranças, para consolidar a ideia de um projeto alternativo para o Estado.

Diversos nomes dos partidos que integram esse grupo já se lançaram como pré-candidatos ao governo do Estado. Com um grupo de quatro legendas ao seu redor, o senador Armando Monteiro, considerado candidato natural ao governo, já aventou a intenção de disputar. O ex-prefeito de Jaboatão dos Guararapes e Cabo de Santo Agostinho, Elias Gomes, colocou seu nome à disposição do PSDB, onde também é esperada a candidatura de Bruno Araújo, tendo em vista sua passagem pelo Ministério das Cidades.

Com um grupo familiar coeso, Fernando Bezerra Coelho também já se lançou pré-candidato. Bastante à vontade, o político sertanejo está na mesma condição que Armando Monteiro esteve em 2014, quando concorreu contra Paulo Câmara: no meio do mandato de senador e sem riscos de perder o cargo eletivo. Foi nessa mesma situação que Jarbas Vasconcelos (PMDB) disputou o governo do Estado em 2010 e Humberto Costa (PT) foi candidato a prefeito do Recife, em 2012.

Segundo informação de bastidores, a tese de múltiplas candidaturas deve se confirmar porque consolida o embate no segundo turno e diminui as chances de reeleição do socialista. O evento de 11 de dezembro terá um teor mais programático, para afinar o discurso e repassar o diagnóstico dos problemas do Estado para os aliados. A formulação de chapas só deverá ocorrer na vésperas do prazo estabelecido pela legislação eleitoral, em março.

O grupo de oposição já passou por Canhotinho, na missa do vaqueiro, em setembro deste ano, mas a primeira aparição pública desse conjunto político foi em agosto, em Caruaru.


Do Blog do César Mello / Informações da Folha de PE

Nenhum comentário:

Postar um comentário