segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Chapinha para federal trará grande prejuízo para deputados do PSB

Dono da maior bancada federal de Pernambuco, o PSB elegeu oito deputados federais em 2014 que foram Pastor Eurico, Felipe Carreras, João Fernando Coutinho, Danilo Cabral, Fernando Filho, Tadeu Alencar, Gonzaga Patriota e Marinaldo Rosendo, porém já perdeu dois parlamentares que são Pastor Eurico e Fernando Filho, perderá Marinaldo Rosendo e corre um risco real de perder João Fernando.
Além de Felipe Carreras, Tadeu Alencar, Gonzaga Patriota e Danilo Cabral, que tentarão a reeleição, o partido terá como candidatos Milton Coelho, João Campos e Lucas Ramos, além dos suplentes Severino Ninho e Creusa Pereira. O partido poderá ganhar o reforço de Sebastião Oliveira, Fernando Monteiro e Raul Henry, que estão com problemas em seus respectivos partidos e devem cerrar as fileiras socialistas. Também deverá coligar com o PT e busca formalizar um chapão com Solidariedade, PCdoB, PP, PSL e PDT, que lutam para formar uma chapinha de deputado federal.
Em se considerando o cenário de um chapão composto por PSB, PT, PCdoB, PP, PSL, Solidariedade e PDT, estes partidos devem ficar com treze a quinze vagas, um contingente bem menor do que o obtido em 2014, quando foram eleitos 18 parlamentares, porém ainda satisfatório, uma vez que o PSB teria potencial para eleger metade das cadeiras destinadas ao chapão. No cenário em que a chapinha seja formalizada, há uma chance real de eleger de quatro a cinco deputados federais, uma vez que estes partidos testados atingiram mais de 700 mil votos nominais, e há um potencial de cerca de 1 milhão de votos, podendo o último federal eleito ascender ao mandato com 60 a 70 mil votos.
No caso do PSB numa coligação com o PT e algum outro partido que tenha deputado federal de mandato, o partido deve eleger oito a nove federais sem a presença dos partidos da chapinha, o que colocaria em xeque a hegemonia socialista na Câmara dos Deputados, uma vez que nomes com menos de 100 mil não terão a menor condição de se eleger neste cenário, protagonizando um verdadeiro Deus nos acuda nas hostes socialistas em 2018. Portanto, combater a chapinha de federal tem que ser o caminho do Palácio do Campo das Princesas se não quiser ver a representatividade do PSB cair pela metade em Brasília.
Do Blog do Edmar Lyra

Nenhum comentário:

Postar um comentário