quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Guilherme prepara filho para sucedê-lo na política

Resultado de imagem para guilherme uchoa junior
A chapa de federais da Frente Popular deverá ser tão atrativa quanto à das eleições de 2014
Quatro vezes deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco pela sexta vez, Guilherme Uchoa, 70 anos, começou a administrar dentro de casa a sua própria sucessão. Decidiu lançar o filho, Júnior Uchoa, para disputar uma vaga na Câmara Federal pelo PSB. O filho é um empresário bem sucedido e em princípio não trabalhava com a hipótese de ser atraído para a vida pública. Mas em homenagem ao pai, de quem herdou o nome, resolveu abraçar o projeto. Ele parte com apoio de vários prefeitos – Itambé, Itaquitinga, Araçoiaba, Itamaracá, etc. – e de grupos de oposição em diversos municípios da Área Metropolitana, Litoral Norte, Mata Sul e Agreste. E confia na sua eleição por três motivos. Primeiro, porque será votado em cerca de 1/3 dos 184 municípios pernambucanos. Depois, porque haverá poucos novos candidatos disputando vagas na Câmara Federal. Por fim, porque a chapa da Frente Popular deverá ser tão atrativa quanto à da eleição anterior, da qual saíram para Brasília cinco suplentes com menos de 50 mil votos, a saber: Cadoca (41.226), Raul Jungmann (36.866), Creusa Pereira (24.775), Severino Ninho (21.043) e Guilherme Coelho (18.962).
Perda de tempo
Daniel Coelho protocolou ontem no DF pedido de anulação da convenção estadual do PSDB. Segue inconformado porque o presidente Bruno Araújo negou-lhe a vaga de tesoureiro, mas é perda de tempo. Quando a direção nacional souber que o ministro foi eleito com apoio dos ex-governadores Joaquim Francisco e João Lyra Neto, do deputado federal Betinho Gomes, dos estaduais Terezinha Nunes e Antonio Moraes, e de todos os prefeitos do partido, arquiva o pedido.
A volta – Segmentos do PSB querem que Paulo Câmara “enquadre” Raul Jungmann, fazendo-o retornar à condição de suplente de deputado federal pelo PPS. Alegam que ele se aliou às oposições e que, voltando à Câmara do Recife (ele é vereador), sairia do Ministério da Defesa “porque general não bate continência para soldado”.
Chapão – Pelas contas dos atuais deputados, os partidos deverão lançar no próximo ano pelo menos 20 fortes candidatos à Assembleia Legislativa. E já são tidos como “pule de 10” o candidato do senador Fernando Bezerra (PMDB), Manoel Ferreira (PR) e João Paulo (PT).
Campanha – O CREA fará eleição nos próximos dias para a escolha do seu presidente para o triênio 2018-2020. Dois candidatos em campanha: Evandro Avelar, atual presidente, e o engenheiro Luiz Antonio de Melo, coordenador da Fundacentro em Pernambuco.
Travas – Humberto Costa já foi informado de que a “base sindical” do PT não aceita aliança com o PTB em 2018 porque o senador Armando Monteiro votou a favor da reforma trabalhista e está “de namoro” com o PSDB e o DEM. E nem quer acordo com o PSB porque esse partido apoiou o impeachment de Dilma Rousseff. Ao mesmo tempo, lembra que o PT e o PSB fizeram aliança em mais 60 municípios pernambucanos em 2016.
Transtorno – Deputados da base governista bem que poderiam pedir a Michel Temer o não fechamento de agências do BB em pequenas cidades de Pernambuco. A Amupe, sozinha, não tem condições de resolver essa parada. Ou a bancada federal entra também na jogada ou milhares de correntistas serão obrigados a transferir suas contas para outros municípios.

Por Inaldo Sampaio

Nenhum comentário:

Postar um comentário