terça-feira, 14 de novembro de 2017

Críticas, cobranças e acusações dominam discursos em mais uma sessão na Câmara de Vereadores de Jataúba

Resultado de imagem para camara de jataúba
Foto: Jataúba News
Nesta segunda-feira 13, aconteceu na cidade de Jataúba no Agreste de Pernambuco mais uma reunião ordinária na câmara de vereadores da cidade, como já é de praxe a reunião teve alguns embates entre os vereadores e após a leitura de projetos vindos do poder executivo alguns vereadores fizeram uso da tribuna, o assunto predominante foi sem dúvidas a liminar negada pela juíza da comarca local que pedia a reabertura do Banco do Brasil na cidade.

Confira o resumo dos discursos:
Jackson Galego (PSB) – O vereador lamentou a decisão da justiça local em negar a liminar para que o banco permanecesse aberto na cidade, e disse que a juíza não deu uma simples liminar porque ela não tem nenhum interesse, pois, só vem na cidade uma vez por semana e não têm familiares que precisam e nem mesmo ela precisa da agência. Jackson destacou a queda no comércio local e disse que isso já é um reflexo do fechamento da agência, o vereador classificou a atitude da juíza como uma falta de respeito com a população e disse que não incita a violência, porém, seria bom a população fechar uma rodovia em forma de protesto pra ver se chama a atenção dos órgãos competentes.

Ainda segundo Jackson, canetada pra soltar bandido alegando que tem bom comportamento acontece sempre, mas, pra uma coisa tão importante como é o caso do banco foi negada e disse que está disposto a lutar até aonde for preciso pra que o banco não feche. Após ser questionado por colegas sobre alguns fatos, Galego se comprometeu a resolver a questão dos ônibus dos universitários e disse que o vereador Maviael tem toda razão em cobrar projetos do executivo para ajuda em eventos religiosos no município, porém, disse que sempre que é procurado o prefeito tem ajudado seja evangélicos ou católicos.

Sobre as 200 casas anunciadas pelo prefeito, disse que o ex-ministro Bruno Araújo mandou o prefeito procurar o terreno para a construção das mesmas, porém, até agora não se concretizou, no entanto, comemorou o fato de segundo ele Bruno ter destinado mais de 1 milhão de reais para pavimentação asfáltica na cidade e desafiou os vereadores de oposição a mostrarem quanto foi destinado pelos deputados e senadores apoiados pelo grupo de oposição nesses três anos de mandato.
Maviael (PSD) – Lamentou a decisão da juíza com relação ao Banco e disse que a mesma não conhece a realidade da cidade nem as necessidades do povo de Jataúba. Criticou a falta de apoio por parte da prefeitura municipal as entidades religiosas do município relatando que participou de um evento evangélico em Santa Cruz do Capibaribe que teve o total apoio da prefeitura e disse que assim como são gastos 50 e até 100 mil reais em festas profanas, se o prefeito quiser ele pode dar mais apoio aos religiosos do município, segundo ele o que a prefeitura de Jataúba faz hoje é liberar a rua e um carro de som pra anunciar e disse que o prefeito não manda projeto requisitando um fundo pra isso pelo fato de querer que o povo fique se humilhando a ele.

Falando sobre a formação da CPI Maviael disse que o vereador Jackson queria entrar em um local que não era permitido e comparou a um bêbado quando quer entrar em um local e as pessoas não deixam e disse que desde o início o presidente da casa sabia que Jackson não podia fazer parte da comissão, no entanto, insistiu em coloca-lo o que classificou como uma manobra para adiar o início dos trabalhos. Segundo o vereador as investigações já estão começando e disse esperar seriedade nos trabalhos por parte dos vereadores Zito Lopes e Antônio Biloza, Maviael disse que durante as investigações vai acompanhar de perto e que o vereador Zuza terá todo o amparo jurídico.

O vereador denunciou que os universitários de Jataúba estão sendo prejudicados, pois, em dias que é feriado municipal em Jataúba, os ônibus não viajam prejudicando estudantes que precisam se deslocar para outros municípios e pediu providências. Ainda falando sobre o fechamento do banco o oposicionista disse que pra se resolver basta o prefeito querer, e disse que a solução é buscar outra agência para se instalar na cidade, porém, segundo ele, o prefeito se omite.

Maviael questionou o presidente da casa Paulo Floriano sobre o fato de após o presidente fazer uso da tribuna o mesmo encerrar a sessão e não dar oportunidade para outros vereadores falarem, e disse que o presidente fica mudando os dias e os horários das reuniões para que segundo ele, a população não compareça as reuniões.
Zuza do Jacú (PTB) – Falou da importância da CPI e disse que a mesma vai ter que funcionar, disse não acreditar na votação do relatório em plenário, pois, todos já sabem o resultado, porém, destacou que onde houver qualquer indício de maracutaia será investigado e o que não puder ser colocado na CPI irá ser denunciado ao Ministério Público, segundo Zuza a justiça ainda funciona e disse que tem muito peixe grande indo pra cadeia. Segundo Zuza se essa CPI não funcionar outras poderão ser formadas para investigar irregularidades no município.

Criticou a postura do presidente da casa e outros vereadores quanto às ironias feitas ao mesmo pelo fato de ter ido participar do evento do governador em Pão de Açúcar e disse que participou por ser um evento público e que não aplaudiu ninguém. Zuza disse que foi uma falta de respeito e que a oposição na cidade está firme e forte. Falou sobre o fato de Jataúba não ter sido beneficiada com as casas do Governo Federal prometidas por Bruno Araújo e disse: “Ele prometeu e não cumpriu, roubou, roubou e agora nem ministro é mais”, disse o vereador.

Zuza disse que o vereador Jackson quer defender o pai a todo custo e fez críticas a algumas deficiências do município como, por exemplo, as estradas e disse que não tem como tampar o sol com a peneira, Zuza falou com relação a não destinação de emendas por parte de deputados de oposição e disse que não adianta mandar emendas e as mesmas não serem aplicadas corretamente, ele ainda destacou que quem mais conseguiu obras pra Jataúba foi à oposição, citando como exemplo a PE-160, a adutora de Poço Fundo à Jataúba e a quadra da escola José Lopes de Siqueira.
Veinho (PMDB) – Disse aos vereadores de oposição que o prefeito está pronto pra apoiar qualquer agência bancária que queira se instalar na cidade, e falou do empenho do mesmo para que a agência do Banco do Brasil não feche definitivamente, ele lamentou a decisão da juíza de negar a liminar e disse que a agência fechando será uma perca muito grande para o município.
Firoca (PTB) – O vereador também lamentou a decisão da juíza e disse acreditar que o povo de Jataúba pode mostrar a mesma os prejuízos com o fechamento da agência e fazer com que ela volte atrás na sua decisão. Ele ainda cobrou do vereador Jackson uma posição quanto uma possível vinda de uma agência do Bradesco pra o município.

Firoca disse que quem pode mudar a situação do País é o povo nas eleições do ano que vem e falou que nem foi, nem vai atrás de João Fernando Coutinho pedir nada, pois, o mesmo não veio nem agradecer os votos que teve em Jataúba e se for pra mandar uma emenda não precisa ninguém ir atrás dele. O vereador disse que irá analisar muito em quem irá votar pra deputado no ano que vem e pediu que a população fizesse uma reflexão antes de escolher um candidato em 2018.
Paulo Floriano (PMDB) – Disse que ficou revoltado e indignado com a decisão da juíza na última sexta-feira, Paulo disse que o fechamento da agência já está afetando de forma negativa o comércio local e principalmente os aposentados que precisam se deslocar para outros municípios como Santa Cruz e Brejo. Paulo disse que a prefeitura junto com a câmara já está entrando com um recurso junto ao desembargador para tentar anular a decisão da juíza já que o prazo para tentar evitar o fechamento da agência se encerra na próxima sexta.

O vereador criticou a postura de Maviael no seu discurso e disse que o povo não vai às reuniões porque não quer e não por conta dos dias, segundo Paulo o povo só vai às reuniões quando tem projetos polêmicos a serem votados e disse que o seu desejo é de ter sempre a casa cheia. “O senhor disse que eu mudo os dias para as pessoas não vir, o senhor tá muito enganado, pois, eu não sou desse tipo de gente não”. Finalizou Paulo.

Os demais vereadores não se pronunciaram e a próxima sessão ficou marcada para o dia 20 de novembro às 20 horas.

Jota Silva / Agreste No Ar

Nenhum comentário:

Postar um comentário