domingo, 3 de setembro de 2017

As prioridades de Temer em Pernambuco

Muita gente pode não gostar da figura de Michel Temer como presidente da República por uma série de fatores, mas uma coisa todos têm que concordar, que ele é brilhante na articulação política.
No caso de Pernambuco, o presidente que tem quatro ministros pernambucanos, decidiu que o estado será sua prioridade para 2018. Ele faz questão de montar um palanque robusto com chances de vitória no estado porque não gostou da forma como o PSB conduziu as articulações em relação ao seu governo.
A ordem, de acordo com uma fonte, é montar uma ampla frente política em torno de Fernando Bezerra Coelho, candidato a governador pelo PMDB. Partidos que hoje orbitam no governo Paulo Câmara serão convidados a sair da Frente Popular pelo Palácio do Planalto.
O PR hoje comandado por Sebastião Oliveira, que tem o ministro dos Transportes Maurício Quintella Lessa, deverá trocar de comando muito em breve para ser levado ao bloco de FBC.
O PSD de André de Paula, comandado por Gilberto Kassab, ministro de Temer, também deverá ter outro caminho. André será “convencido” a trocar de palanque.
O PP de Eduardo da Fonte, dos ministros Blairo Maggi e Ricardo Barros, será outro partido cuja orientação será marchar com a oposição em Pernambuco.
Por fim, o Solidariedade de Augusto Coutinho, não teria uma intervenção direta de Michel Temer, a articulação feita para levar o partido para a oposição ficaria a cargo do ministro da Educação Mendonça Filho, cunhado de Augusto.
De acordo com esta fonte, as movimentações deverão se intensificar tão logo seja oficializada a entrada de Fernando no PMDB. Na conta do tempo de televisão, o PSB que é uma bancada média na Câmara Federal precisaria muito da aliança com PT e PDT para não ficar muito abaixo das inserções e guia eleitoral da oposição.
O objetivo de Michel Temer é deixar o PSB no isolamento em Pernambuco para a disputa de 2018.
Informações Edmar Lyra

Nenhum comentário:

Postar um comentário