quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Alexandre de Moraes é aprovado pela CCJ do senado por 19 a 7

Após quase 12 horas de sabatina, o ex-ministro da Justiça Alexandre de Moraes foi aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça do Senado para o cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). Ele teve 19 votos a favor e sete contrários à indicação do presidente Michel Temer. A indicação de Moraes agora segue para ser votada do Plenário do Senado, que tem sessão marcada para esta quarta-feira (22), às 11h. Ele precisa de maioria simples dos presentes, ou 41 dos 81 senadores.
Ainda tecnicamente licenciado do Ministério da Justiça, Moraes iniciou a sua sabatina na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado às 10h garantindo que, caso seja aprovado para ocupar uma cadeira no Supremo Tribunal Federal (STF), atuará com “absoluta imparcialidade e liberdade”, sem vínculos com suas atividades políticas e partidárias passadas.
Biografia
Alexandre de Moraes se formou pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo em 1990, onde também é professor associado desde 2002. Iniciou a carreira política de ascensão como secretário municipal de Transportes da cidade de São Paulo (de 2007 a 2010), e secretário estadual do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, em duas secretarias: de Segurança Pública (2014 a 2015), e da Justiça e da Defesa da Cidadania (2002 a 2005).
É Doutor em Direito pela USP e também é professor da Universidade Mackenzie e das Escolas Superior do Ministério Público de São Paulo e Paulista de Magistratura.
Moraes também foi o advogado que defendeu Eduardo Cunha (PMDB-RJ), ex-presidente da Câmara dos Deputados, em 2014 em uma ação sobre uso de documento falso em que conseguiu a absolvição do peemedebista. Cunha teve o mandato cassado e está preso preventivamente em Curitiba (Paraná), no âmbito da Operação Lava Jato.

Informações Diário do Poder

Nenhum comentário:

Postar um comentário