terça-feira, 29 de dezembro de 2015

FENÔMENO EXPLICA GRANIZO NO INTERIOR, RAIOS E CHUVAS EM PERNAMBUCO, DIZ APAC



Um mesmo fenômeno explica as alterações climáticas que vêm ocorrendo em vários pontos de Pernambuco nos últimos dias de acordo com a Agência Pernambucana de Águas e Climas (Apac). "O granizo em Flores, os raios, a trovoada, as chuvas intensas dos últimos dias, todos eles estão associados ao mesmo sistema meteorológico, o Vórtice Ciclônico de Ar Superior", explica Marcelo Asfora, presidente da Apac, no NETV 1ª Edição desta terça-feira (29).

Telespectadores de vários pontos do estado mandaram vídeos pelo WhatsApp da Globo Nordeste registrando a chuva, raios e trovões em locais como a Ilha de Itamaracá e Olinda, na Região Metropolitana do Recife, e Goiana, na Mata Norte. Os registros ocorreram entre as 22h e as 3h30 da madrugada. O Agreste do estado também sofreu com o problema.



De acordo com Marcelo Asfora, esse fenômeno é comum. Porém, deveria ocorrer com mais frequência no Sertão do estado e está acontecendo no Litoral. "O fenômeno pode gerar raios dentro da própria nuvem ou entre a terra e a nuvem. Ele tem como característica a formação de nuvens de grande espessura com movimento ascendente muito forte. Isso faz com que as gotículas se condensem muito rápido e devido à alta altitude e baixa temperatura, muitas vezes congelam, se transformando em granizo", detalha Asfora.

O meteorologista Roni Guedes, também da Apac, afirma que o evento climático já está no fim do ciclo de vida. “Esse vórtice, geralmente, dura uma semana. O movimento dele está desintensificando e a nebulosidade, se deslocando. Então, a tendência é que a partir desta tarde não ocorram mais precipitações. Não há mais risco de ocorrência de raios”, aponta.

No Grande Recife, um desses raios atingiu a Globo Nordeste, no Morro do Peludo, em Olinda, e prejudicou equipamentos. Com isso, a emissora não transmitiu o Bom Dia Pernambuco e enfrentou dificuldades para atualizar o portal G1 Pernambuco nas primeiras horas da manhã. Tudo está normalizado agora.


O vendedor Edvaldo Vieira, de 50 anos, conta que ficou muito assustado porque nunca tinha visto uma tempestade com raio tão forte. Morador de Goiana, na Zona da Mata Norte, ficou alerta por causa do rio que, segundo ele, transborda facilmente. “Fiquei me comunicando com amigos. Ficamos ligados caso precisássemos socorrer as pessoas. Era muita água, muito raio, a noite toda”, lembra.
Edvaldo ainda relembra que a situação pirou por volta das 23h. “Os moradores do centro de Goiana  ficaram apavorados. Começamos a gravar e um mandar para o outro o que via, não acreditávamos naquilo”, afirma.
J. Silva / Fonte: G1 PE

Nenhum comentário:

Postar um comentário